As novas formas de consumo do brasileiro

consumo

As novas formas de consumo do brasileiro

Ahhh o consumo…

Pensar no quanto a vida mudou nos últimos quatro meses parece um desafio cansativo demais, afinal, viver uma pandemia pela primeira vez é encarar um emaranhado de “não sei o que fazer” com “o que é que eu tô fazendo?”. 

Os dias – intermináveis – em casa forçaram uma nova rotina onde os relacionamentos foram reformulados e a forma como trocamos com o mundo externo também.

Claro que o consumo e todas as questões atreladas a ele não iam ficar de fora disso.

Em dado momento, quando ver os jornais da TV ou ler as notícias pela internet era só lamentar e chorar, sem soluções, qualquer noção de segurança ou proteção foram água abaixo.

Para muitos, sair de casa para qualquer compra de necessidade, como farmácia ou supermercado, já não era mais uma opção.

O medo e a precaução sem medidas havia tomado conta de muitos lares e é aí que uma chavinha vira e números de compras e consumo via aplicativo se transformam nos maiores indicativos da circulação de renda do brasileiro.

Como o consumo por delivery se popularizou?

Apps de delivery já eram uma realidade há muito tempo.

Consumir aquele sanduíche que chega na hora do fome quando o trabalho não permite nada mais ou o jantar com os amigos entregue na portaria sem nenhum esforço faziam parte da rotina e da fatura do cartão de crédito de cada mês.

Um levantamento realizado pela empresa OnYou, especializada em clientes ocultos do Brasil, e publicado pela VejaSP, constatou que a maior parte dos pedidos – seja por telefone ou aplicativos -, ainda são aos restaurantes, com 89%, seguidos por farmácias, com 32%, supermercados, com 29%, e estabelecimentos com venda de bebidas, 14% dos pedidos.

A pesquisa foi realizada em abril, para todo o país, e contou com a resposta de 3.950 pessoas renda familiar entre menos de R$ 1.000,00, (6%), a mais de R$ 12.000,00, (8%). 41% dos participantes estão na capital paulista ou cidades do Estado. 

Outro fator que chama atenção é a regularidade com que os pedidos são solicitados, é muito consumo.

Mais de 40% dos entrevistados optou pelo serviço de delivery de uma a três vezes em um período de 15 dias; 33%, somam de quatro a seis usos.

Apenas 7% deles não pediram delivery nenhuma vez até aquele momento.

Novas formas de vender se estendem a outros segmentos

Com o fechamento de atividades não essenciais, empresários se viram obrigados a reinventar seus negócios para mantê-los em funcionamento, e gerando o consumo dos seus clientes.

As mais diversas áreas começaram a usar suas redes sociais para comunicar aos clientes uma volta diferenciada.

Grandes lojas de móveis ou decoração, por exemplo, têm aplicado serviço de “drive thru”, além da entrega comum.

Com todos os cuidados e um esquema bem organizado, o consumidor se aproxima do comércio e retira seus produtos sem a necessidade de sair do carro.

Outra proposta adotada pela loja de materiais de construção, TelhaNorte, é a possibilidade de venda via caminhões itinerantes.

Para evitar deslocamentos e demora nas entregas e ajudar aqueles que não se dão bem com a tecnologia, a marca envia itens até determinado condomínio, por exemplo, e, organizadamente, e sem gerar aglomerações, os moradores podem garantir o que precisam em uma espécie de “feirinha”. 

Cuidando da saúde sem sair de casa

Se era hora de se reinventar, isso faria sentido também para o segmento de saúde.

Planos de saúde, pouco a pouco, passaram a oferecer a chamada “telemedicina”, um serviço que permite que o cliente tenha consultas médicas via videochamada no celular.

Isso garante a proteção dos envolvidos, facilita o acesso à saúde e mantém o distanciamento social. 

Assim, o digital tomou ainda mais o seu lugar, ocupando espaços com praticidade e segurança. Se médicos já estavam atendendo online, fazia todo sentido que os exames por eles solicitados também seguissem o mesmo caminho.

E é assim que a ISA se torna tão necessária.

Todo o conceito e idealização para a realização de exames, vacinas e Testes Para COVID-19 ocorrem de forma 100% digital.

Com equipe própria de enfermagem e coleta domiciliar, o laboratório atende as regiões da Grande ABC e Grande SP, seguindo todas as normas de segurança e focado em um trabalho humanizado.

Os resultados ficam disponíveis no site da ISA e podem ser acessados por médicos ou pacientes.

Saiba mais em nosso site e cuide da sua saúde sem sair de casa.

LinkedIN

Esse é um momento de constantes mudanças e adaptações.

O supermercado e a farmácia, para muitos, já são feitos via aplicativo, sem sair de casa.

Consultas médicas têm ocorrido via “telemedicina”, novo formato onde pacientes veem seus médicos por câmera de vídeo.

Caso seja necessário, o profissional envia receitas digitais, aceitas nas principais farmácias do país, mesmo para antibióticos e remédios controlados. 

A praticidade, mais do que nunca, é nosso principal aliado. E é assim que surge a ISA. Um laboratório de diagnósticos 100% digital que vai até o paciente e realiza coletas domiciliares para regiões da Grande ABC e Grande SP. 

A jornada do paciente para exames, vacinas e até Testes para COVID-19 é bem simples.

Basta escolher o serviço no site, agendar e efetuar o pagamento, receber a ISA em casa ou no trabalho – com toda a segurança e proteção recomendados – e conferir o resultado no próprio site. 

Mais uma oportunidade de cuidar da saúde colaborando para o distanciamento social, protegendo você e os seus e contando com atendimentos humanizados e, claro, práticos!

Bem-vindo à ISA!

0